Busca

culturalivresp

Blog dos alunos de jornalismo da PUC-SP

Categoria

Novos sons

Geral sabe cantar, mas ninguém sabe falar seu nome. Conheça a trajetória da MØ!

mo

Por Gabriel Justo

Cheia de influências do pop e do rock dos anos 90, essa dinamarquesa de 26 anos e é a sensação da música europeia. Nascida na Dinamarca, ela ganhou o Danish Music Awards de Música do Ano, Artista Solo do Ano, Clipe do Ano e tem trabalhado com artistas que a gente ama, como Iggy Azalea e Ariana Grande. Vem conhecer!

MØ (lê-se ‘mew’) começou a se interessar pela música aos sete anos, quando ouviu as Spice Girls pela primeira vez. Depois, influenciada pelo som de bandas como Yeah Yeah Yeah, Smashing Pumpkins e Sonic Youth, a dinamarquesa formou uma dupla com uma amiga, que acabou cinco anos depois, quando a cantora resolveu seguir carreira solo. Foi aí que Karen (nome verdadeiro da MØ) conheceu um famoso produtor europeu e começou a lançar seus singles.

Os primeiros foram Glass e Pilgrim, que chegaram ao 11º lugar nas paradas dinamarquesas. Depois vieram Waste of Time, XXX 88, Walk This Way (com vocais que lembram bastante a Charli XCX, que vão fazer você querer um rabo de cavalo agora!) e por fim, seu primeiro álbum de estúdio, No Mythologies to Follow. Reunindo todos os singles já lançados, o álbum ainda traz ótimas faixas inéditas, como a animadinha Don’t Wanna Dance e o lindo cover de Say You’ll Be There, das Spice Girls.

Além dos trabalhos próprios, MØ também tem feito colaborações com artistas como Avicii – os vocais de Dear Boy são dela! – e Iggy Azalea, com quem ela gravou o single Beg For It. A cantora também abriu, em 2010, os shows do duo AlunaGeorge no Reino Unido e ainda compôs All My Love, do Major Lazer (se ainda não conhece, aproveita!) com a Ariana Grande. A MØ tá podendo!

Mais recentemente, MØ também trabalhou com a galera do Major Lazer no single Lean On, um grande sucesso mundial! A MØ tá podendo!

Derrotada no X-Factor UK, Fleur East lança single no reality e arrasa!

fleur-east-syco-1-thatgrapejuice

Por Gabriel Justo

Ela foi eliminada do logo nas fases inciais do X-Factor britânico lá em 2005. 9 anos depois, lá estava Fleur de volta, desta vez batalhando a vitória do reality show – que ela acabou não levando. Problema? Nenhum. Mesmo no segundo lugar, Fleur assinou com a gravadora de Simon Cowel e voltou ao palco da final da temporada seguinte, agora em novembro, para estrear Sax, seu primeiro single!

Fleur, como ela assinava no início da carreira, nasceu em Londres e estudou em um colégio católico até entrar na faculdade, onde estudou jornalismo e história contemporânea. Sua primeira aparição como cantora foi na 2ª temporada do The X Factor UK. Sob a tutela de Simon Cowell, ela fez parte da girl band Addictiv Ladies, eliminada logo no começo. Já como Fleur East, a cantora acabou participou mais uma vez do reality e surpreendeu todo mundo durante suas apresentações na 11ª temporada.

Mas nenhuma delas se compara à performance de Fleur no dia da final, quando ela cantou Uptown Funk. Acabou não levando o X-Factor, mas fez muito mais sucesso: mesmo cantando uma música que ainda não havia sido lançada na Inglaterra, Fleur chegou ao 1º lugar do iTunes com sua apresentação e obrigou o próprio Bruno Mars a antecipar o lançamento de Uptown… na Inglaterra. Nada bobo, Simon logo a convidou para sua gravadora.

O resultado de um ano de trabalho na Syco foi mostrado exatamente um ano depois, no mesmo palco, onde Fleurvoltou mais uma vez para lançar Sax. Cheio de influências dos anos 70 e 80, o single tem uma letra cheia de marra e foi feito você se matar de tanto dançar. Tudo combinado com uma melodia deliciosa. Ou seja, tem tudo pra virar um hit! E se você gostou, boas notícias: ainda neste novembro, Fleur vai lançar seu 1º álbum! Ansiosos, sim ou claro? 😀

Depois de fazer sucesso no YouTube, Troye Sivan aposta na carreira musical

Por Gabriel Justo

t_1

Podemos dizer que Troye já foi muita gente. Com apenas 19 anos ele, que começou a carreira como ator, já interpretou vários personagens no teatro e no cinema. Agora, depois de ficar famoso pelo seu canal no YouTube e pelo Vine (onde tem mais de 10 milhões de seguidores!), Troye lançou seu primeiro EP profissional e seu primeiro single, que chegou ao primeiro lugar do iTunes!

Troye nasceu em Johannesburg, uma grande cidade da África do Sul mas, aos dois anos, mudou-se com a família para a Austrália, onde mora até hoje. Seu primeiro EP, chamado Dare to Dream foi lançado de forma independente na internet em 2008, mesmo ano em que filmou sua participação em X-Men: Origens, como o Wolverine criança. Ainda como ator, ele fez o filme sul-africano Spud e interpretou o papel título ao musical Oliver Twist, do famoso escritor inglês Charles Dickens.


Se jogue no TRXYE, o primeiro EP de Sivan lançado por uma gravadora. Além de “Happy Little Pill” (seu single de estreia, que chegou ao primeiro lugar do iTunes e ao TOP 10 das paradas do Canadá, Nova Zelândia e EUA), o disco também traz as faixas The Fault in Our Stars (MMXIV), inspirada no nosso filme do s2, Touch, Gasoline e a nossa favorita, Fun, que fala sobre aproveitar a vida descobrindo o mundo e se divertindo.

Para conhecer melhor o Troye, vale dar uma passada no canal dele no YouTube! Por lá, o ator-cantor-webceleb posta vários vídeos engraçados, covers de músicas que a gente já ama e coisas sobre sua vida pessoal, como quando ele se assumiu gay – da forma mais fofa do mundo, vale frisar! Ah! E o álbum de estreia do Troye, Blue Neighbourhood, já está disponível, viu? E está LINDO!

Ella Eyre é mais um talento britânico imperdível

bg

Por Gabriel Justo

Nascida em Londres com descendência jamaicana e maltesa, Ella Eyre tem apenas 20 anos e um talento de tirar o fôlego. Tanto que ficou em segundo lugar no prêmio Som do Ano da BBC, perdendo para o Sam Smith! Waiting All Night, single do quarteto inglês Rudimental em parceria com Eyre, alcançou o topo das paradas na Europa, Austrália, Nova Zelândia e foi eleito o Single do Ano pelo BRIT Awards!

Ella Eyre descobriu seu gosto pela música no colégio, participando de um musical. Dos palcos da escola, Eyre foi direto para a BRIT School (uma das maiores escolas de arte do Reino Unido, onde também estudaram Adele e Amy Winehouse!), fez parcerias com o Rudimental, Bastille, e mais recentemente lançou seu álbum de estreia, chamado Comeback.

Ainda não decidimos se Ella se parece mais com a Adele, Lorde ou Shakira, mas pode ter certeza que você vai adorar essa mistura! Para se encantar de cara, assista a performance da gata com os meninos do Bastille e do Rudimental no BRIT Awards 2014. Depois, aposte no single If I Go e parta para o EP Deeper, que é cheio de músicas animadinhas sobre desilusões amorosas. Pra quem gosta de violinos (alô, Rather Be!) e letras não tão animadas, We Don’t Have to Take Our Clothes Off é um presente!

Além da voz, das letras e do show que Ella dá quando se apresenta ao vivo, ainda temos mais um motivo pra amá-la de vez: o cabelo. Sempre cheios, longos e super definidos, os fios já viraram referência pra quem quer investir num visual mais despojado. Duvida? Então dá uma olhada no Instagram (@ellaeyre) ou procure por #ellashair. Ouvindo Ella, é claro!

MNEK: 20 anos, visual oitentista e indicado ao Grammy

mnek-01

Por Gabriel Justo

Sabe aqueles artistas que se destacam por terem um talento fora do comum? Uzo Emenike, ou MNEK (seu nome artístico) é um deles. Inglês de descendência nigeriana, ele já emplacou duas músicas no topo das paradas britânicas, foi indicado ao Grammy (!) e colaborou com tantos artistas que não vamos conseguir citar nem metade deles. Tudo isso antes de completar 20 anos. Entende por que você precisa conhecê-lo?

MNEK sempre foi fã de um coletivo de compositores chamado Xnomania, e compunha músicas em seu quarto desde os nove anos. Um dia, ele resolveu chamar uma das escritoras desse coletivo no Facebook e desta conversa saiu seu primeiro hit (All Fired Up, da girlband britânica The Saturdays) e seu primeiro contrato como compositor. Mais tarde, veio a primeira indicação ao Grammy: Need U 100%, do DJ Duke Dumont, acabou perdendo o prêmio de Melhor Canção de Dance para Clarity, do Zedd. Mas tudo bem perder para o Zedd, né?


Tendo Janet Jackson e Timbaland como influências, Uzo também tocou sua carreira de cantor em paralelo às composições. Em 2011 ele lançou seu primeiro single, If Truth Be Told; e no ano passado, ao mesmo tempo em que era indicado como Som do Ano pela BBC, lançou Every Little Word e Wrote a Song About You. Sua voz, cheia de sentimento, também está presente em Spoons, single do Rudimental, cujo álbum também conta com suas colaborações em várias outras faixas.

Não satisfeito com tantos trabalhos, MNEK mal começou 2015 e já tem dois ótimos lançamentos nos quais ele manda muito bem. O primeiro foi o single The Rhythm, em que ele mistura seus vocais aveludados com um eletrônico cheio de batidinhas viciantes; o segundo você com certeza você já ouviu: é dele o backing vocal de Living for Love, primeiro single do novo álbum da diva Madonna, cujo clipe foi o primeiro a ser lançando dentro do Snapchat!

Com 21 anos, Shift K3Y é a promessa do EDM europeu

Shift K3Y IMG_8187

Por Gabriel Justo

A cara é de novinho, mas o talento de gente grande. Com apenas 21 anos, Lewis Jankel (ou Shift K3Y, seu nome artístico) já é considerado um dos DJ’s mais promissores da Europa. Elogiado pela imprensa de lá, ele entrou em turnê com o Skrillex e não para de lançar música boa. Curte eletrônico e quer encher suas playlists de novidades? Então role a página!

Lewis é londrino e mexe com música desde 2011. “Mexe” talvez seja um verbo injusto com ele, que aos 18 anos já estava lançando seu primeiro EP. Manage Ya, uma das músicas do disco, chegou até a tocar na BBC Radio 1 (a mais importante do Reino Unido). Desde então, Shift K3Y vem produzindo várias faixas autorais e remixes de músicas famosas, como o de Change Your Life, da Iggy Azalea, e o de Change, da Mapei.

No começo de 2014, o garoto lançou o single Touch, que chegou ao terceiro lugar nas paradas do Reino Unido o destacou na cena eletrônica da Europa. “Eu a escrevi dois anos atrás, assim que eu conheci minha namorada”, contou ele ao blog Mad Good Music. “A escolhi como meu primeiro single porque, entre todas, ela era a mais honesta e pra cima. A que me deixava mais feliz!” Depois de estourar com o seu primeiro single, K3Y foi convidado a fazer parte de uma turnê do Skrillex, um dos maiores DJ’s da atualidade. Sucesso, né?

K3Y lançou ainda outros dois singles que são perfeitos para uma house party: Not Into It, super dançante, e I Know, que tem uma letra bem provocativa: “Não sou desse tipinho ‘Crepúsculo’ que você conhece, porque eu vou subir um pouco o seu nível”. Tantos lançamentos indicam que, muito provavelmente, é possível que tenhamos um álbum completo do cara. Na entrevista ao blog inglês, ele não descarta a possibilidade: “Espero que role!” Nós também, Shift!

Com crítica à homofobia, Hozier conquista o mundo com Take Me To Church

hozier

Por Gabriel Justo

Bombar logo no primeiro single não é tarefa fácil pra ninguém; ter o primeiro single indicado ao Grammy, menos ainda! Mas foi isso que aconteceu com Hozier, o irlandês de 24 anos que ficou famoso no mundo todo com Take Me to Church, que chamou a atenção pela crítica à igreja e à homofobia mas, principalmente, pelo clipe.

Hozier (cujo primeiro nome é Andrew) começou a estudar música num colégio da Universidade de Dublin, onde participava da orquestra e também de um coral, com o qual chegou a viajar para se apresentar na Holanda e na Noruega. Mas ele largou tudo no primeiro ano para gravar algumas demos para a Universal Music, que mais tarde lançou seu primeiro EP, homônimo ao single.


Tire uns minutinhos para ouvir, conhecer a letra e assistir ao clipe de Take Me to Church. É uma música linda e bem impactante que, além de alcançar o primeiro e segundo lugar em quase 10 países, foi indicada a Melhor Canção com Mensagem Social no MTV Europe Music Awards e também ao Grammy de Música do Ano, ao lado de hits do s2 como All About That Bass (Meghan Trainor), Chandelier (Sia) e Shake It Off (Taylor Swift).

Além do single que o levou ao sucesso, Hozier já lançou outro EP e, mais recentemente, seu primeiro álbum completo, que chegou ao primeiro lugar na Irlanda. Angel of Small Death…, mais animadinha, e a fofinha Someone New são as mais legais! Não deixei de assistir, também, a apresentação do cara no último Victoria Secret’s Fashion Show –sim, no mesma passarela onde vimos Ed Sheeran, Taylor Swift e Ariana Grande! Tá arrasando, Hozier! 😉

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑